­

corte de cabeloCerto homem de Zorá, chamado Manoá, do clã da tribo de Dã, tinha mulher estéril. Certo dia o Anjo do SENHOR apareceu a ela e lhe disse: "Você é estéril, não tem filhos, mas engravidará e dará à luz um filho. Todavia, tenha cuidado, não beba vinho nem outra bebida fermentada, e não coma nada impuro; e não se passará navalha na cabeça do filho que você vai ter, porque o menino será nazireu, consagrado a Deus desde o nascimento; ele iniciará a libertação de Israel das mãos dos filisteus". - Juízes 12:2 a 5 NVI

Quando Dalila viu que Sansão lhe tinha contado todo o segredo, enviou esta mensagem aos líderes dos filisteus: "Subam mais esta vez, pois ele me contou todo o segredo". Os líderes dos filisteus voltaram a ela levando a prata. Fazendo-o dormir no seu colo, ela chamou um homem para cortar as sete tranças do cabelo dele, e assim começou a subjugá-lo. E a sua força o deixou.

Então ela chamou: "Sansão, os filisteus o estão atacando!" Ele acordou do sono e pensou: "Sairei como antes e me livrarei". Mas não sabia que o SENHOR o tinha deixado. Os filisteus o prenderam, furaram os seus olhos e o levaram para Gaza. Prenderam-no com algemas de bronze, e o puseram a girar um moinho na prisão. - Juízes 16:18 a 21 NVI

Leia mais

deserto"E o menino crescia e se fortalecia em espírito; e viveu nos desertos até o dia em que havia de mostrar-se a Israel." - Lucas 1:80

Neste trecho no primeiro capítulo do Evangelho de Lucas, nós lemos que, depois de seu pai ter proclamado uma maravilhosa profecia sobre sua vida, João Batista "viveu nos desertos até o dia em que havia de mostrar-se a Israel." Com certeza foi no deserto que João recebeu, através da revelação, a sua comissão ministerial, incluindo os detalhes de como ele iria reconhecer o Messias na hora certa1.

Podemos ver nas vidas de muitos dos heróis da fé, tanto no Antigo como no Novo Testamento, que depois que alguém recebe seu chamado de Deus, esta pessoa sempre passa por um processo de tratamento, um deserto, antes de entrar na plenitude do seu ministério.

Leia mais

o adolescente JesusNo segundo capítulo do Evangelho de Lucas, nós temos o único relato Bíblico sobre a adolescência do Senhor Jesus:

Ora, todos os anos iam seus pais a Jerusalém, à festa da páscoa.
 
Tendo ele doze anos, subiram a Jerusalém, segundo o costume do dia da festa. Ao regressarem, terminados aqueles dias, ficou o menino Jesus em Jerusalém, e não o souberam seus pais.
 
Pensando, porém, que estivesse em sua companhia, foram caminho de um dia. Então começaram a procurá-lo entre os parentes e conhecidos. Como não o encontrassem, voltaram a Jerusalém em busca dele.
Leia mais

A entrada triunfalQuando ia chegando, vendo a cidade, chorou sobre ela, dizendo: Ah! se tu conhecesses, ao menos neste teu dia, o que à tua paz pertence! Mas agora isso está encoberto aos teus olhos. Dias virão sobre ti em que os teus inimigos te cercarão de trincheiras, e te sitiarão, e te apertarão de todos os lados. Derrubar-te-ão, a ti e a teus filhos que dentro de ti estiverem. Não deixarão em ti pedra sobre pedra, porque não reconheceste o tempo da tua visitação. - Lucas 19:41 a 44

Neste trecho do Evangelho de Lucas, nós vemos o Senhor Jesus chorando sobre a cidade de Jerusalém, que não tinha percebido o tempo da visitação do seu Rei, e conseqüentemente sofrerá os juízos de Deus.

Leia mais

barcoAndando à beira do mar da Galiléia, Jesus viu dois irmãos: Simão, chamado Pedro, e seu irmão André. Eles estavam lançando redes ao mar, pois eram pescadores. E disse Jesus: "Sigam-me, e eu os farei pescadores de homens". No mesmo instante eles deixaram as suas redes e o seguiram. – Mateus 4:18-20

"Eu os farei pescadores de homens". Estas palavras do Senhor Jesus, direcionadas a Pedro e seu irmão André, aparecem nos primeiros três Evangelhos, e são bem conhecidas pela grande maioria dos crentes. Gostamos de refletir sobre o significado desta frase, de ser um "pescador de homens", normalmente interpretando-a como um "ganhador de almas", ou um evangelista.

Porém, eu creio que estas palavras tiveram um significado ainda mais pessoal, mais individual, para Pedro.

Pedro era um pescador profissional. Lendo os Evangelhos, eu entendo que Pedro não somente trabalhou como pescador, mas amou o seu trabalho. Ser pescador foi a sua identidade, o seu orgulho. Esta profissão significava quem ele era: Pedro, o Pescador.

Leia mais


­